MedTrop2018


02 a 05 de setembro de 2018
Centro de Convenções de PE

Doenças Transmissíveis: predição e desafios para o enfrentamento de novas e velhas epidemias






Programação preliminar







Prezados(as) companheiros(as),

É com grande energia e senso de responsabilidade que renovamos o compromisso histórico da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical (SBMT) e anunciamos a realização neste ano, 2018, da XXXIII Reunião Anual de Pesquisa Aplicada em Doença de Chagas e da XXI Reunião Anual de Pesquisa Aplicada em Leishmanioses, carinhosamente reconhecidas como reuniões de Uberaba (ChagasLeish 2018).

Este ano em particular reveste-se de grande importância para os rumos políticos e econômicos do Brasil. O registro sistemático da ampliação da pobreza e das desigualdades abrem um espaço fértil para a ocorrência da doença de Chagas e das leishmanioses, além de outras condições classificadas como doenças tropicais negligenciadas (DTN). Como cidadãos, gestores, pesquisadores, educadores, estudantes, movimentos sociais, profissionais de saúde e outras áreas intersetoriais devemos projetar um olhar crítico-reflexivo sobre o atual contexto, buscando revelar os cenários epidemiológicos e seus determinantes sociais, assim como os aspectos relativos à Política Nacional de Saúde. Preocupa-nos, em particular, a fragilização das ações de Atenção Básica e, de forma mais ampla, de Vigilância em Saúde. Precisamos nos manter mobilizados para que doença de Chagas e leishmanioses persistam nas agendas políticas do País, com vistas à garantia da integralidade da atenção.

Estas questões são centrais no cenário atual, tendo em vista o compromisso histó- rico firmado pelo Brasil junto à Organização das Nações Unidas, como signatário dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Histórico, pois pela primeira vez as DTNs integram de forma clara o objetivo relativo à saúde, com indicadores para monitoramento e avaliação entre 2015 a 2030. Temos, portanto, uma responsabilidade global nesta resposta integrada.

Nesta perspectiva, abre-se uma oportunidade singular para discutirmos coletivamente nossos trabalhos, fomentando recomendações estratégicas de desenvolvimento no cenário do SUS, fortalecendo-o e ampliando sua atuação, indo além da atenção à saúde. A pesquisa remete-se mais do que nunca, portanto, a um elemento de transformação e desenvolvimento humano e social.

Diante disso, o tema central da reunião ChagasLeish 2018 será: “SUS e o compromisso real do Brasil com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável - integrando acesso, assistência, vigilância e pesquisa em saúde”.

Sintam-se todos(as) convidados(as) para nos unirmos novamente ao Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, em Recife, Pernambuco, promovendo um amplo e diversificado encontro maior. Pelo terceiro ano consecutivo, este convite novamente é extensivo às pessoas afetadas pelas DTNs, que terão protagonismo durante o 3º Fórum Social Brasileiro para Enfrentamento de Doenças Infecciosas e Negligenciadas. A SBMT reitera com a reunião ChagasLeish 2018 sua responsabilidade social e seu forte compromisso com a cidadania.

Aguardamos entusiasticamente todos(as) em Recife, Pernambuco!

Coordenação Geral - ChagasLeish 2018
Andréa Silvestre de Sousa – Instituto Nacional de Infectologia, Fiocruz

Presidente de Honra
Alejandro Luquetti – Universidade Federal de Goiás

Comissão de Coordenação – Doença de Chagas
Wilson de Oliveira Jr. – Universidade de Pernambuco
Alberto Novaes Ramos Jr. – Universidade Federal do Ceará

Comissão de Coordenação – Leishmanioses
Zulma Maria de Medeiros – Instituto Aggeu Magalhães, Fiocruz
Alda Maria Maria da Cruz – Instituto Oswaldo Cruz, Fiocruz

Comissão Científica – Doença de Chagas
Carolina Batista – Drugs for Neglected Diseases initiative (DNDi)
Christiane Santos Matos
Cristina Carrazzone – Universidade de Pernambuco
Dalmo Correia Filho – Universidade Federal do Triangulo Mineiro
Eros Antônio de Almeida – Universidade Estadual de Campinas
Fernando Abad-Franch – Instituto René Rachou, Fiocruz
João Carlos Pinto Dias –
Liléia Gonçalves Diotaiuti – Instituto René Rachou, Fiocruz
Maria Aparecida Shikanai-Yasuda – Universidade de São Paulo
Pedro Albajar Viñas – Organização Mundial da Saúde
Roberto Salvatella – Organização Pan-americana da Saúde
Rosália Maria Torres – Universidade Federal de Minas Gerais
Veruska Maia da Costa – Ministério da Saúde do Brasil

Comissão Científica – Leishmanioses
Ana Lucia Teles Rabelo – Instituto René Rachou, Fiocruz
Ana Nilce Silveira Maia Elkhoury – Organização Pan-americana da Saúde
Andre Roque – Instituto Oswaldo Cruz, Fiocruz
Claudia Valete – Instituto Nacional de Infectologia, Fiocruz
Elisa Cupolillo - Instituto Oswaldo Cruz, Fiocruz
Glaucia Fernandes Cota – Instituto René Rachou, Fiocruz Gustavo Romero – Universidade de Brasília
Guilherme Werneck – Universidade Federal do RJ, Universidade Estadual do RJ
José Ângelo Lauletta Lindoso - Universidade de São Paulo
Jorge Guerra – Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado
Marcia Hueb
Marise da Silva Mattos – Secretaria de Estado da Saúde – SC
Rafaella Albuquerque e Silva – Ministério da Saúde

Comissão Organizadora Local
Carolina Medeiros – Universidade de Pernambuco
Cristina Carrazzone – Universidade de Pernambuco
Maria Aucineide Basílio – Casa de Chagas (Pernambuco)
Maria Beatriz Araújo Silva - Universidade de Pernambuco
Maria da Glória Melo Cavalcanti – Universidade de Pernambuco
Pollyana Guimarães - Casa de Chagas (Pernambuco)
Silvia Marinho Martins - Universidade de Pernambuco
Virginia Lorena - Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães - Fiocruz