MedTrop2018


02 a 05 de setembro de 2018
Centro de Convenções de PE

Doenças Transmissíveis: predição e desafios para o enfrentamento de novas e velhas epidemias






Caros colegas malariologistas!

Estamos muito animados com a realização da XV Reunião Nacional de Pesquisa em Malária, nesta versão como evento satélite do Congresso da Sociedade Brasileira de Medicina Tropical, o MedTrop. A expectativa é grande em colocar os pesquisadores da área de malária convivendo com estudiosos de tantas outras doenças negligenciadas, na histórica e espetacular Recife. Depois de anos em queo número de casos de malária esteve em declínio no mundo e no Brasil,hoje está evidente que precisamos aprender muito ainda para chegar à eliminação. O último relatório da Organização Mundial de Saúde ressalta um retrocesso. Os dados epidemiológicos do nosso país apontam, infelizmente, na mesma direção. Assim, é tempo de orientar nossas pesquisas para retornar à direção correta: a do declínio dos casos e de suas complicações, rumo à eliminação desse problema que ainda insiste em afetar a vida das pessoas, especialmente as mais pobres e as que vivem nas áreas mais remotas do nosso país, na Amazônia. Cabe a nós discutir isso em Recife, propondo e levando decisões baseadas nas melhores evidências para os nossos gestores.

Neste evento, não pouparemos esforços para executar uma programação que envolva nossos grandes especialistas da pesquisa em malária, desde seus aspectos biológicos até a ciência da eliminação, pensando em intervenções efetivas e economicamente viáveis. Nesse aspecto, certamente envolveremos representantes do Programa Nacional de Controle da Malária nas discussões.

Outra meta não menos importante nesta edição é trazer para as atividades do evento os estudantes e pesquisadores mais jovens, por dois motivos. Primeiramente, é claro que o evento uma oportunidade de interação da nova geração com pesquisadores de renome e grande experiência na área, estimulando novos talentos. Segundo, queremos saber o que os malariologistas em formação nos diferentes laboratórios do país tem a nos mostrar das suas pesquisas. A população afetada pela doença cobra e continuará a cobrar de todos nós que escolhemos a pesquisa e não a abandonamos mesmo nos cenários mais severos e de descaso com nossa escolha de profissão e de vida.

Sabemos que Recife nos acolherá muito bem!

Participem! Compartilhem!

Wuelton Monteiro
Presidente da XV RNPM